Hoje lembrei de algo engraçado que aconteceu com a gente, nem sei porque lembrei disso mas foi divertido, cheguei ao ponto de me coçar em comprar os ingredientes da poção infernal, aquele dia tinha tudo para dar errado e dependendo da perspectiva deu kkkk.

Nós dois rodando pela cidade no meio da semana procurando qualquer bodega aberta para poder beber uma cervejinha ou pelo menos comer algo, tudo é meio nebuloso né, sempre que entro em seu carro na verdade a última coisa que imagino é ir em um mercado aleatório, comprar alguns congelados e algumas bebidas, voltar pra casa e assistir qualquer merda escolhida aleatoriamente na Netflix.

Acho que o ponto mais irônico em nossa relação de quase 15 anos é justamente nenhum dos dois ter a menor noção do que irá acontecer quando entrarmos em seu carro, um dia pedi pra você parar e ficamos olhando um pedreiro trabalhar por quase uma hora, em outro dia você decidiu observar um assalto em uma residência toda fudida, realizada aparentemente por moradores de rua, não dá pra saber, só conseguia te ver completamente chocado a cada janela quebrada , a cada peça levada pelos bandidinhos de quinta, teu sorriso.

Quando o sofá caiu aparentemente no pé de um deles foi péssimo e bonitinho ao mesmo tempo, acho que seu dom natural é ser péssimo e bonito né vai saber.

Naquele dia estávamos sem sorte, nem as bodegas, puteiros e afins estavam atendendo, também dois idiotas saindo em plena terça de madrugada achando que uma cidade do interior teria algum estabelecimento 24 horas é burrice por si só né…

– Tenho a casa de um amigo meu, ele trabalha no bar X, BORA?
– Uai tu que manda bb…

Chegando na casa do tal cara ele ri na tua cara, dizendo que só estava acordado porque estava loco, não tanto quanto a gente kkk mas estava nitidamente loco, entrou e te entregou uma garrafa de catuaba, o primeiro ingrediente da poção.

Catuaba sabor açaí, tu pegou aquela coisa toda feliz e disse já é alguma coisa, como conseguia manter tanto humor né? Ahh sim lembrei, você falava que comigo se sentia livre né, podia falar e fazer o que quisesse

– Que bom que te faço bem..
– Eu também te faço bem né?
– Claro

MÃOs

– Você e essa mania de precisar inflar seu Ego hahaha.
– Não precisa inflar nada, quando eu for paia você pode falar, ai eu te mato e depois me mato.
– Aff que horror
– To brincando kkkkk

Chegamos em minha casa, pisando em ovos, não adiantou nada, as cachorrinhas fizeram o escândalo de sempre, você e eu só na base do shiuuu, shiuuuuu kkkk.

Entramos, esperamos o barulho parar um pouquinho enquanto nos beijávamos de um jeito bem estranho, ainda bem que ninguém nos vê, desde o primeiro beijo sempre foi estranho, nada parecido aos beijos novelescos, não era apenas boca com boca e línguas se encostando como os beijos casuais, era alma com alma, dois fudidos com espiritos corrompidos, um querendo entrar no outro mesmo no escuro, torcendo para que aqueles demônios em forma de cachorros parassem de latir.

Difícil explicar nosso beijo né afinal nossas línguas possuem estágios de acordo com nossa condição mental, finalmente o tesão e finalmente o silêncio…

– Esta na hora de criar os próximos ingredientes.

Uma busca rápida pela casa encontra uma pinga Velho Barreiro que estava perdida no fundo de um armario.

– PUTZ MISTURAR PINGA COM CATUABA?
DEVE FICAR HORRÍVEL!!!

Você abre a geladeira e vê 3 latinhas de cerveja perdidas.

– Ai tu não vai misturar né?
– Nem limão têm aqui bora ver no que dá hahahaha.

As duas bruxas iniciam o ritual, a poção será feita com os seguintes ingredientes:

  • 1 Garrafa de 2 litros destas de plástico onde se faz refrescos comuns será nosso caldeirão.
  • 1 Gelo em formato de margarina.

Tecnicamente o primeiro item da poção foi mais engraçado que os demais, eu só consigo olhar seu sorriso em um frenesi, acho que dividi minha alma em três, uma parte estava curioso, outra enojado e a última completamente apaixonado.

  • 1 Garrafa de catuaba, provavelmente inteira ou no mínimo 70% dela.
  • 3 Latinhas de Cerveja Palito, não importa a marca o importante é ser ruim.

E por ultimo uma xícara de cachaça.

Ambos concordamos que aquilo era imbebível , mesmo assim brindamos e bebemos.

Ambos gozamos um amor diferente, mesmo sendo tudo o que fazíamos em nossa intimidade peculiar, aquele dia sabíamos que foi diferente.

Ambos terminamos a jarra do drinque satanicamente horrível.

Só eu nunca mais acordei.

Comentários
Menu