Quem se importa?

Quem se importa?

Fundo do poço é apenas uma questão de perspectiva, ninguém na verdade se importa com seu sucesso ou com seu fracasso, na verdade a maioria das pessoas não querem que vocês contêm com elas e principalmente QUE CASO PRECISEM DE VOCÊ, QUE VOCÊ ESTEJA LÁ BEM DISPONÍVEL, sempre bonitinha, sempre bem apresentada, sempre uma versão perfeita ou que no minimo supere as expectativas que as pessoas que a cercam tenham esta impressão sobre você.

Meu nome é Esthephani e eu sou uma puta, na verdade nem sei se sou uma puta é que já estou tão acostumada a ser chamada assim que foi por assimilação, a maioria dos homens que eu saio querem que eu seja a puta, burra e linda que mesmo sendo uma puta, poderia se passar por uma dona de casa burra e linda, geralmente em algum evento idiota onde me exibem como um troféu só para superar as expectativas que os amigos idiotas deles tinham sobre a capacidade máxima do cara ter conquistado uma 10/10 que eles gostariam, nossa se contassem as vezes em que tive de sair de um desses eventos ou bares classudos e chatos, onde fui ao banheiro para colocar minha boa vodka pra dentro junto com algum pó mágico encontrado em qualquer esquina, isto costuma tonar as coisas mais fáceis, eu considero bem difícil colocar um pau pra dentro depois de uma noite cansativa e super entediante, onde eu não gostaria de estar ali, ele não gostaria de estar ali mas por alguma razão precisa se impor e me mostrar como uma conquista, assim os amigos dos quais a maioria ele não suporta possam comentar como sou gostosa, bonita e que ele têm sorte, aceitação por sua companhia é triste, falo por experiência própria, meu marido a uns 15 anos não se importa que eu durma com toda a cidade assim como acha que eu não me importo de ele ser casado com outra pessoa.

Estou com ele acho que por mais que ser uma mulher formada, estruturada e que paga seus impostos eu o amo, dormir com uma pessoa ou várias pessoas em todas as noites costumam te deixar mais fria com o tempo me falara, achei que uma dia me livraria dele matando isto mas não aconteceu até hoje, nos vemos tão pouco que quanto ele menos me cobra mais sinto que morrerei com ele do meu lado injetando uma merda no pulso que me deixara mais felizinha para fazer a passagem.

Precisa ter um psicológico muito foda para ser elogiada por todos os lados, mesmo quando faz alguma merda e mesmo assim só conseguir dormir imaginando que esta morrendo depois de tomar meia dúzia de remédios que retirem os efeitos dos “estimulantes” e que finalmente você irá fazer a passagem, sem dor e dormindo, enquanto ainda é linda, enquanto ainda é jovem, enquanto alguém ainda pagaria pra sair contigo mesmo que você não precise e mesmo que saia as vezes com algum desconhecido por um bolo que levou, cada hora um jeito diferente me acalma, ser morta por um desconhecido é o mais recorrente e ter uma overdose são os mais recorrentes.

Comentários
Categoria: Conto
Próximo post
Carpe diem quam minimum
Post anterior
O Pior Drink do Mundo
Menu