[vc_single_image source=”external_link” custom_src=”https://2.bp.blogspot.com/-XjvKp_jhhSY/V5U8YFVFl_I/AAAAAAAAFoM/SrhEGyTt5RwVYOBriZAr5w_t7CVPZ3f7ACLcB/s1600/Darzamat.jpg”]

Quando pensamos nos gêneros musicais que normalmente se ligam como Terror / Horror / Suspense e todos os seus subgêneros é feita imediatamente uma ligação ao Rock ou musica clássica que se faz presente em várias obras, sons que nos colocam em estado de alerta máximo como a Beethoven’s 5th Symphony ou o icônico Mussorgsky – Night On Bald Mountain, algumas obras se tornaram verdadeiros icones destes gêneros, tão importantes quanto o filme e a mensagem, é impossivel falar em musicas que dão medo sem se lembrar  de Tubular Bells – Mike Oldfield que na década de 70 presente em grande parte do filme mais importante de todos até hoje (se formos levar em consideração os prêmios conquistados) ou no suspense  The Murder – Bernard Herrmann pouco mais de 1 minuto foi o suficiente pra apavorar até mesmo quem nunca assistiu a mais icônica das cenas de Psicose de Alfred Hitchcock

Uma verdadeira agressão, uma sensação de angustia, pavor medo são as sensações que esta obra nos provoca. É bonito e ao mesmo tempo assustador. Não só de provocar arrepios vive a musica dedicada ao horror, a também as que contam histórias a exemplo Darzamat – Letters From Hell já citado aqui no linhas em 13 Musicas perturbadoras sobre bruxaria que com poucas palavras conta uma história revoltante e muito pesada, do outro lado temos as histórias mais fantasiosas e longe da realidade, estamos falando das que envolvem espíritos, assassinatos e o Brasil possui bandas muito boas que contam estas pertubadoras histórias, Maldita banda que conheci nos remotos tempo de orkut por exemplo, possui aquela peculiaridade dos anos 80, do trash nos filmes e as histórias que não deixaram as geração 80/90 dormir por algumas noites

Absurdo que já existia no tempo da UDR com seu humor negro e completamente sem noção em Bonde da Mutilação mostra como uma musica pode ser grotesca, bizarra, sanguinolenta e não causar medo, causa desconforto e revolta mais medo não.

[vc_single_image image=”1779″ img_size=”full”]

Para quem curte terror, os fanáticos já sofrem preconceito e rótulos de freak demais, já tivemos uma época bem triste antes dos chamados cults serem idolatrados, porém nada pior do que o preconceito de gêneros musicais entre os próprios fãs, não é preciso ser metaleiro para apreciar um filme como Zodíaco assim como não há necessidade de gostar de Country/ sertanejo/gospel para gostar de qualquer filme que aborde esses temas, o mal gosto e o bom gosto são extremamente relativos,

EXISTEM musicas para todas as ocasiões, isto é muito legal, esta mistura só enriquece, uma vez um amigo meu que é musicista profissional e que toca em uma grande banda de sertanejo universitário embora seja um grunge irremediável me disse que – Um verdadeiro musicista ouve tudo, aprende de tudo e não possui gênero musical único, isso é se fechar! é limitar suas experiencias musicais entende.

[vc_single_image image=”1784″ img_size=”full”]

Dessa vida não levamos nada e ficar julgando alguém por seu gosto musical é o mesmo que a sua tia chata falar que não gosta de como você se veste, não acrescenta e é chato, não seja um cara chato. é muito comum nos fóruns dedicados ao gore, terror e afins os comentários “Funk Lixo”, “Eu gosto de tudo menos sertanejo e axé”, “Samba é musica de terreiro” , “Rock Nacional é uma bosta” e pode ter certeza que isto representa pessoas que nunca se quer deram uma chance ou pesquisaram qualquer coisa, falando de fatos históricos mesmo, para chegar a estas refinadas conclusões.

Falar mal de um gênero que alguém gosta para supervalorizar o seu só mostra a imaturidade, você é tão inseguro assim? há necessidade? lembro da época em que o Nirvana estava em seu auge e as meninas que viam outras com camisetas da banda fazia perguntas irrelevantes como – Quando Kurt Nasceu? ou qual era a religião dele? e se a pessoa errasse voltava seminua para casa pois tinha sua camiseta rasgada. É esse o tipo de pessoa que você quer ser?

Comentários
Menu